Pedalada Pela Reserva do Tamanduá

No carnaval resolvemos ficar em Curitiba, curtindo a cidade. Fizemos vários passeios tranquilos e nos divertimos muito. Nesta segunda-feira do feriado conseguimos marcar uma pedalada que a muito tempo programávamos: levar nossas esposas para pedalar junto com a gente.

O Marco e eu já pensávamos em levar as meninas para pedalar na Reserva do Tamanduá pela facilidade que é este trajeto para quem está começando. Já havíamos feito este passeio no ano passado, mas agora levaríamos as esposas e namoradas.

Além da Bel e da Bia, conseguimos levar a namorada do Antonello e também uma amiga da Marco. Saímos por volta das 16:00h de Curitiba e chegamos no estacionamento do pedágio às 16:30h.

Acabamos fazendo, sem querer, uma escolha acertada. O tempo estava muito quente, como todos os dias de carnaval, mas acabava sempre chovendo no final da tarde. Nos demos bem, pois para os lados do Tamanduá não choveu e ainda por cima conseguimos pedalar com um clima bem agradável, sem aquele som ardido do início da tarde.

O trajeto consiste em sair do pedágio de São Luiz do Purunã e atravessar a rodovia em direção à Fazenda Thalia. Dali seguimos a estrada de terra até um cruzamento e entramos em um vale, fazendo um downhill, chegando a um riozinho e depois subindo pelo outro lado. O passeio é praticamente plano, sem contar o vale, o que proporciona uma pedalada bem agradável, ainda mais para quem não é acostumado à grandes distâncias, como as meninas.

O total do passeio é de 24 quilômetros, sem contar os 4 que separam o final da trilha até o pedágio. Abaixo o Antonello e sua namorada curtindo as explicações do Marco.

Aqui já estamos chegando no riozinho, depois do downhill do vale. A descida é legal, com poucos trechos mais sensíveis. Dá para descer no gás, cuidando com as erosões no solo para não ser tragado.

No final do downhill todo mundo pode descansar e comer alguma coisa, se refrescando no riozinho.

E como o passeio foi sem stress nenhum, tanto faz se você pedalava ou empurrava a bike na subida depois do vale; o importante era se divertir e bater muito papo, como as duas abaixo! 🙂

No final da pedalada pegamos um por-do-sol bem bonito, com direito a céu vermelho, contrastando com a noite que já chegava. Abaixo a Bel aproveita a parada para curtir a paisagem:

Saímos da trilha e paramos num posto de gasolina para as meninas nos esperarem enquanto voltávamos para o pedágio pegar os carros. O Kangoo do Marco bravamente levou as bikes de volta para casa.

E para comemorar o passeio resolvemos comer umas pizzas lá em casa. Na verdade foram várias pizzas, com uma de morango com chocolate, em homenagem às meninas. Afinal, elas se comportaram muito bem no passeio e tinham todo o direito de ganhar uma sobremesa, ainda mais pelas calorias que gastaram durante o pedal! 

Comments

  1. marco says:

    tem coisas na vida que não tem preço!!!!!

  2. Renato says:

    Muito legal, belo passeio e principalmente, sem stress. Elas devem ter adorado.

  3. Rachel says:

    Na proxima quero ir junto…

  4. […] e convidei o Minduim e o Billy e também o Markito, que levou o Claro. No final estávamos em 8 pessoas. Além dos que eu já falei foram também o […]

  5. […] a paixão por esportes cada vez mais fundo no Natan. A Bel, que sempre está na correria, também adora estes momentos, e vê que estes passeios/treinos unem mais a família, fazem bem para o físico e também para a […]

  6. […] que retomei o pedal de mountain bike, ela também começou a dar os seus passeios. De vez em quando pegamos alguma trilha, juntando vários casais para animar mais ainda a […]

  7. Tiago Rodrigues says:

    ah, eu pensei que vcs tinham saido de Curitiba de Bike ate la, ai sim seria cansativo para as mulheres. Eu e meus amigos tbm fazemos ciclimos, ainda nao conheçemos essa regiao moro em ALmirante Tamandaré, sera que muito demorado pra sair daqui ate a regiao Balsa Nova pedalando??

  8. […] lá passamos pela Estrada do Tamandua, muito conhecida de outros pedais. O Rio das Mortes, que era muito legal, agora tem uma ponte, que tirou todo o seu charme. Uma […]