Pedal pelas Represas do Rio Verde e Passaúna

Neste final de semana fiquei em Curitiba, depois de mais de um mês viajando todos os sábados e domingos. Nada mais justo que fazer um pedalzinho com os amigos para tirar as teias de aranha da bike, não acha? 🙂

Trocamos alguns emails durante a semana e nos encontramos pelas 07:30h do sábado na Havan. Estavam no pedal: Luiz, Oca, Claudio, Matheus, e eu. O destino eram as duas represas da região oeste de Curitiba: Passaúna e Rio Verde.

A represa do Passaúna é muito conhecida por aqui, e bem perto da cidade. Fiz muitos pedais por aquela região. A do Rio Verde não é tão conhecida. Eu mesmo nunca tinha ido até lá.

Saímos da Havan e seguimos pela BR até a Estrada da Sereia, em Campo Largo e daí entramos. Eu havia sugerido mudar o trajeto para não pegar só o asfalto, mas o Luiz tinha horário e seguimos direto. Como eu havia falado iria aumentar o trajeto em uns 15 a 20km, saindo à direita no Barigui e pegando a BR só mais lá na frente. Fica para a próxima.

A Estrada da Sereia é um lugar bem bonito e calmo, que acabei descobrindo quando andava direto de Carveboard. Alguns anos mais tarde também descobri que um amigo do meu sogro mora exatamente no lugar onde eu descia as ladeiras de carve.

Logo depois da parte de asfalto começam as estradas de chão. Aí é onde a brincadeira realmente começa, e onde me sinto mais feliz neste mundo do mountain bike. Pouco movimento, paisagem bonita, subidas e descidas. Tudo acompanhado pelo som da natureza.

Seguimos pela estrada com o auxílio do gps do Luiz, necessário mesmo nas diversas mudanças de rota que tivemos que fazer no caminho e chegamos na primeira represa por volta das 09:30h. O lugar é bonito e haviam diversas pessoas pescando na ponte, que era muito bonita, toda feita de madeira. Pelo jeito está a muitos anos por lá. Fizemos uma parada para apreciar a vista e comer alguma coisa. Depois continuamos seguindo para leste, em direção ao Passaúna.

Me surpreendo como existem ainda lugares diferentes para se explorar. Eu pedalo a quase 20 anos, e nunca havia passado por aquela região. Esta foi uma das razões que eu não queria pedalar neste fim de semana em Campo Magro. Ali já conheço praticamente tudo. Queria coisas novas, diferentes.

Chegamos na estrada da Ferraria por um pequeno Haras que eu já conhecia de outros pedais. Interessante a volta que fizemos. Paramos num boteco para beber umas cocas e comer umas batatinhas e seguimos em direção à ponte do Passaúna.

Dali em diante foi aquele caminho conhecido, sem nada de novo. Na Volvo pegamos a BR e nos despedimos no viaduto da Orleans. Luiz, Claudio e Matheus seguiram em direção ao Barigui e o Oca e eu fomos para Santa Felicidade.

Fechei o pedal com 63km, perto do meio dia. Uma ótima maneira de começar o ano. Tranquilo, divertido, sem grandes esforços e com pessoas legais.

Bem vindo, 2011! 🙂

Veja também o relato do Luiz.

Comments

  1. Luiz says:

    Na próxima vez acho que dá pra explorar um pouco mais a região da represa Rio Verde, pois pelo GEearth ela é bem grande…

  2. Matheus says:

    Muito bom esse pedal…valeu mesmo!!!

  3. Claudio says:

    Valeu, pessoal! Excelente pedal para entrar em forma, neste ano que se inicia. Aguardo os próximos. Abraço a todos.

  4. Oca says:

    Grande pedal!!! Valeu a rota e a conversa jogada fora…

  5. julio says:

    Excelente km para começar bem o ano, o lugar é muito bonito!