Filme: 127 Horas… de Superação!

Neste sábado eu e o Natan fomos ver o filme 127 Horas. Antes de mais nada, para aqueles que acham que um filme destes não é para crianças, antes vimos o divertido Viagens de Gulliver. 🙂

A história a maioria já deve saber: Aron Ralston, um jovem aventureiro, vai passar um fim de semana em um Canion de Utah e, numa passagem de uma trilha, desliza e prende o seu braço direito embaixo de uma rocha. A partir daí ele passa cinco dias (as tais 127 horas) tentando de tudo quanto é jeito se soltar da rocha. No final ele resolve a situação cortando o próprio braço. Ponto, acabou o filme. 🙂

Na verdade a aventura de Aron é uma baita história de coragem e superação. Poucas pessoas, na mesma situação que ele, teriam o sangue frio e tentariam, com tanto empenho, salvar a própria vida. Acredito que pouquíssimas pessoas no mundo teria a coragem que ele teve em amputar o próprio braço.

No filme, enquanto Aron estava preso naquela pedra, eu me lembrava de Chris McClandess, do filme/livro Na Natureza Selvagem. Impossível, pelo menos para mim, não fazer um paralelo entre estes dois personagens. Ambos aventureiros. Ambos fugindo da civilização para encontrar paz em meio à natureza. Ambos “vítimas” de um drama pessoal.

Mas o que o filme transparece é uma vontade imensa de Aron viver. Ele queria sair dali a todo custo. Por cinco dias fez o possível para voltar para a sua família e amigos. Não desistiu até conseguir.

Por outro lado McClandess parece que aceitou o seu destino, não lutou contra ele. A sua trajetória foi de se afastar cada vez mais de tudo o que conhecia. No final abandonou até mesmo a natureza, e viu que seus amigos e família eram os que realmente importavam. Sem eles toda a natureza não fazia sentido.

Aron, por sua vez, amava a natureza, mas amava a vida na mesma intensidade. Uma complementava a outra, e uma não fazia sentido sem a outra. Parece que este equilíbrio que Aron tinha Chris nunca conseguiu manter.

Os dois viveram intensamente o contato com a natureza e suas maravilhas, mas somente um voltou para contar a história.

Este é aquele tipo de filme que você já vai sabendo o final, mas vale cada minuto gasto dentro do cinema.

Recomendo! E cuidado, você pode, também, chorar no final. 🙂

Comments

  1. Pedro says:

    É um ótimo filme mesmo, eu também recomendo!

  2. marco aurelio says:

    Pô, vc contou o fim ? Rsss.
    Vou assisitr com certeza.
    Abraços.

  3. Mauricio says:

    Eu vi o filme por causa da dica do Reginaldo Mendes.
    Levei uma amiga e no final ela comentou que achava que seria mais pesado, quando retruquei “só se a pedra fosse mais pesada”.

    Gostei do filme!

  4. Rafael says:

    Não assisti ao 127 horas, mas considero muito interessante a sua comparação entre os dois filmes.

  5. Gigi says:

    Vc me conta o fim e ainda assim eu quero ver o filme, só vc mesmo pra contar com tanto entusiasmo pra fazer isso… adorei!!! bjs

  6. MARY says:

    VI O FILME… NOSSA MUITO MANEIRO,REALMENTE É UMA HISTÓRIA DE SUPERAÇAO!!
    GOSTEI MUITOOOOO@@@@@