Bodybuilding: Estilo de Vida

pranchas so eu

Demora, mas descobri porque tantas pessoas falam que não adianta praticar o bodybuilding, tem que levá-lo como um estilo de vida.

Trabalhar a construção do corpo não é somente aquela uma hora em que você passa na academia. É muito mais do que isso! Considero que a alimentação é responsável por 60 a 70% do resultado alcançado. Então como você quer melhorar o físico sem cuidar do corpo nas outras 23 horas do dia?

Ah, e não podemos esquecer o descanso também, então o sono conta da mesma maneira. Dormir bem é tão importante quanto treinar e se alimentar, porque é nesta hora em que o corpo se recupera, fica mais forte, e desenvolve os músculos.

Hoje, depois de três anos de prática, posso me considerar um bodybuilder. Já falei isso em um outro post, a alguns anos atrás:

A prática é a essência de cada esporte. Não adianta dizer para seus amigos que você está fazendo o esporte X ou Y, se não têm a prática. Eu levei mais de um ano para me considerar um surfista. Antes eu não me achava no direito de me chamar assim.

Da mesma maneira, levei estes três anos para me considerar no direito de me chamar de bodybuilder. Por que tanto tempo? Porque no bodybuilding as coisas são assim mesmo: lentas, com ganhos graduais e quase imperceptíveis semana a semana. No primeiro mês você pode até notar alguma coisa, mas a real diferença ao se ver no espelho só vai aparecer dali a seis meses ou um ano. Não sou gigante, como o estereótipo padrão, mas consegui mudar o meu corpo, e é exatamente isso a essência do bodybuilding: construir um corpo melhor através de um trabalho duro e consistente ao longo de muito tempo.

Entendi que não adianta só ir na academia. Entendi que é muito importante se alimentar de três em três horas. Entendi a função dos suplementos e no que eles ajudam. Finalmente aprendi quais alimentos são carboidratos, quais são proteínas e quais são gorduras. E, infelizmente, descobri que a maioria da população ingere muito carboidrato e pouca proteína. Já sabe então porque temos essa enorme crise de obesidade no planeta?

Levei um tempo considerável para entender o o quão pesado deve ser um treino pesado. Entendi o porque da diferença sutil entre repetições na faixa de 4 a 8 e repetições na faixa de 10 a 15.

Aprendi diversos termos e gírias: Trincado, Seco, Rasgado, Embassado, Retido, Overtraining, Shape, Pump, Powerlifting, Bulking, Cutting, Músculos Antagonistas, Super Set, Drop Set, Dia do Lixo, e por aí vai.

Entendi que tem uma turma que vai o ano inteiro para a academia e tem outra que aparece em setembro e vai embora em fevereiro. Adivinha qual destas turmas ganha músculos e perde gordura?

Entendi que acordar às 06:00h da manhã e sair de casa com um frio de cinco graus pode ser legal e divertido, já que a primeira coisa que faço é ir  na academia.

Aprendi muita coisa, mas sei também que tenho que aprender ainda mais, porque um dos aspectos que mais gosto no bodybuilding é exatamente o que muitos odeiam: que as coisas acontecem de forma lenta, gradual e constante. Só depende de você, da sua dedicação, foco e força de vontade.

Só depende do seu estilo de vida!