Entrevista Sobre Corridas de Aventura para Revista Runner

No final do ano passado, logo após o Raid Aventura em Tijucas do Sul, recebi um email da Shirlei Ximenes, jornalista de São Paulo, querendo fazer uma entrevista comigo sobre Corridas de Aventura. Ela havia me achado através dos meus posts sobre Corridas no meu blog pessoal.

Depois de alguns emails trocados fizemos uma entrevista bem legal. Parte dela acabou saindo na Runner Magazine número 1, revista da academia Runner, de São Paulo.

No link a seguir você pode baixar o pdf completo da reportagem, onde tem a matéria e entrevistas com outras pessoas. Aproveite e leia abaixo a entrevista que dei na íntegra.

Qual a sua idade e o que você faz profissionalmente?

37 anos. Sou Analista de Sistemas

Por que você decidiu participar de corridas de aventura? Há quanto tempo você pratica esse esporte? Praticava outros esportes anteriormente? Quais?

Eu faço corridas de aventura desde 2006. Já fiz cinco provas desde que iniciei.
Eu gosto muito de esportes, mas muuuito mesmo, e também do contato com a natureza. Daí que a soma disso foi uma coisa natural. Já tinha interesse desde os tempos que Eco Challenge, que passava na Discovery Channel.

Eu pratico vários esportes diferentes, a muito tempo. Já fiz/faço montanhismo, surf, pára-quedismo, vôo-livre de paraglider, skate de velocidade, carveboard, mountain bike, corrida, e alguns que devo ter esquecido no momento 🙂

Tenho um artigo no meu blog falando sobre os esportes diferentes que já participei: Os Esportes Radicais e Eu: Uma Paixão Insana.

Como foi o seu início na corrida de aventura e as maiores dificuldades enfrentadas?

Acho que a maior dificuldade é arranjar um companheiro para participar das provas comigo 🙂 Quando um não pode tenho que correr atrás de outro amigo para levar junto 🙂
O início foi bem legal, chegamos em quarto na primeira prova que participamos. E na segunda, perdemos o terceiro lugar a 20 metros da chegada!!
No meu blog (stulzer.net) fiz vários relatos das provas que participei. Acho isso bem legal, pois ajudo as pessoas que estão iniciando, dando dicas do que aprendi em cada prova. Eu mesmo sempre releio os relatos antigos antes de cada prova para ver se não esqueci nada.
Quais foram os principais resultados obtidos com o esporte, no que diz respeito ao corpo e à mente? Que melhoras você viu no seu dia-a-dia, na sua saúde?
Acho que a melhor coisa que obtenho do esporte é a paz de espírito. O esporte me rejuvenesce, me faz sentir vivo. Não faço esportes porque sou obrigado. Faço porque tenho um imenso prazer praticando-os. E acho que isso pode acontecer com quase qualquer pessoa, é só começar que logo logo a endorfina faz o seu trabalho maravilhoso de te deixar feliz da vida!
Com relação ao corpo acho que consegui ganhar um pouco de peso. Hã, ganhar peso? É, sempre fui muito magro, e para mim ganhar peso é o mesmo martírio para quem quer perder. Fazendo esportes, me alimentando corretamente (sou vegetariano) e malhando durante a semana, consegui ganhar uns bons seis quilos de massa magra em alguns meses.
Qual foi o maior desafio que você precisou superar durante uma corrida? Há alguma história engraçada?
Toda corrida de aventura é um desafio. Em cada um tem histórias para contar. Acho que o maior desafio foi em uma corrida de 2007, onde a prova acabou durando 8 horas. No parte final também choveu muito. Neste caso o desgaste físico foi bem grande.
Outra parte que sempre trás bons desafios é a navegação. Se você erra algum caminho ou rota e tem que voltar muito tempo, o seu psicológico é afetado. E isso é bem difícil de trabalhar. Acho que só a experiência para ir amenizando as cobrinhas que se enfiam na sua cabeça quando você erra uma parte da prova.
A corrida de aventura parece envolver um intenso princípio de trabalho em equipe. É gratificante essa experiência?    
Com certeza. Eu provavelmente nunca participarei de uma corrida de aventura na categoria solo, onde você corre sozinho. É muito bom poder correr junto com um companheiro e dividir as decisões. Além disso o incentivo é outro, cada um bota pilha no outro. E o espírito de equipe reina mesmo, senão você se dá mal. Uma das regras da corrida é que você não pode ser distanciar mais que 100m do seu companheiro de equipe, e isso é a mais pura verdade. Já tive problemas em três situações por me afastar do meu companheiro. Agora já aprendi e não desgrudo dele de jeito nenhum. Isso cria um elo forte entre a equipe. 
E olha, a amizade muda depois que você faz uma corrida de aventura com alguém. E muda para melhor. Cria-se uma espécie de ligação com aquela pessoa, pois vocês passaram por uma grande dificuldade juntos (a corrida) e saíram vitoriosos dela (chegaram ao final). Tenho certeza que isso nenhum dos dois vai esquecer pelo resto da vida.
Durante uma corrida de aventura, o contato com a natureza é muito intenso, despertando um grande espírito de aventura. Você acha que esse é o maior atrativo do esporte? Por que esse convívio com a natureza é tão importante hoje em dia?
Não digo que é o maior atrativo, mas que ajuda muito. Eu sempre gostei de esportes com forte contato com a natureza e com certeza isso foi uma das coisas que me atraiu para as corridas de aventura.
Acho que o maior atrativo do esporte é o desafio. É você saber que está prestes a correr uma prova de 50, 60 ou 80km e saber que pode chegar no final. Só isso já é uma grande satisfação pessoal.
O convívio com a natureza é algo essencial, pelo menos na minha vida. Durante a semana trabalho direto na frente do computador. No final de semana quero mais é voltar às minhas raízes, ser um pouco mais mais “homem bicho”, um pouco mais selvagem. Acho que essa é uma das razões que me identifico tanto com o filme “Na Natureza Selvagem”. Quem não viu ainda, recomendo fortemente!
Vencer sempre é muito bom. Contudo, mesmo não vencendo, qual a sensação de ter conseguido completar todo o percurso da corrida sem ficar pelo caminho? Você já viu colegas desistirem?
É uma grande satisfação, como já falei acima. É um grande sentimento de dever cumprido misturado com euforia. Você se sente um pouco super-herói, pois sabe que mais de 90% da população não conseguiria fazer alguma coisa como aquela.
Sim, sempre tem gente desistindo. Eu mesmo já desisti de uma prova, por ter errado o caminho e a moral ter ido lá embaixo. Isso é uma coisa normal, às vezes acontece com os outros, às vezes acontece com você. Faz parte do jogo. O importante é fazer uma navegação boa para diminuir os riscos de se perder.
Eu tenho um lema nas corridas de aventura: em primeiro lugar vou para me divertir, pois sem diversão não tem como correr; em segundo lugar o meu objetivo é chegar ao final da prova; e em terceiro é tentar ganhar algumas posições e chegar na frente dos outros competidores. Sempre fiz isso e me diverti muito, em todas as corridas.
Quais são os primeiros passos/dicas para uma pessoa que gostaria de participar de corridas de aventura? Deve-se procurar uma empresa/organização  especializada?
Olha, no meu blog tenho vários artigos dando dicas sobre o que aprendi nas corridas em que participei. Acho que a primeira coisa é pesquisar bastante na Internet. Tem muito material bom. Mas em primeiro lugar eu colocaria a vontade. Sempre digo que a vontade de fazer uma prova vale mais do que o preparo físico da pessoa.
Se a pessoa tem condições financeiras para fazer algum curso numa empresa especializada, acho legal, mas não é algo essencial. Com o que existe na Internet hoje em dia já dá para começar bem. Além disso, conversar com um amigo que já fez alguma prova antes é muito bom. Foi assim que comecei.
O que é liberdade para você? A corrida de aventura proporciona essa sensação?
Liberdade é poder pegar uma trilha no meio do mato com a minha mountain bike; pegar um dia de surf muito bom na praia; correr, mesmo que seja uma volta, no parque perto da minha casa, e se for com minha esposa e filhos andando de bicicleta juntos, melhor ainda; é poder chegar em casa suado e tomar um banho quente; jogar meus bumerangues e ver eles voltarem direitinho para a minha mão.
E liberdade é poder levar meu filho de 5 anos para o seu primeiro passeio em uma montanha, subindo por mais de uma hora seguida, e ele adorar!
E isso só é possível graças à compreensão da minha esposa e amiga, a Bel, que sabe que adoro demais fazer esportes. Amo demais ela por isso, e por várias outras coisas, com certeza! 😉

Comments

  1. Zeca Miranda says:

    Olá, tranquilo?
    Gostaria de saber os treinos especificos pra corrida de aventura.
    Obrigado,
    Zeca Miranda.