Oito Meses Usando Sapatilha e Clip

Já se passaram oito meses desde que comecei a usar a dupla sapatilha/clip. Hoje é até comum o pessoal iniciar pedalando direto com clip, mas quando comecei a base era na pedaleira mesmo. Acabei ficando nela e meio que perdi o bonde do clip, pois nesta época fazia outros esportes.

Depois da minha volta à bicicleta, a alguns anos atrás, continuei com a pedaleira. Só que a turma que comecei a andar já era adepta do clip. Conversei com um e outro e me convenci que era hora de mudar. Comprei a sapatilha em setembro do ano passado, em uma viagem, e o clip em dezembro, inaugurando a dupla no início de 2010.

Já caí umas três ou quatro vezes (todas parado), mas fora isso não tive nenhum outro incidente. No começo senti a diferença na perna, pois o quadríceps era muito mais usado. Depois fui me acostumando e as dores na parte anterior da perna passaram. Depois de umas três ou quatro semanas usando a sapatilha/clip posso dizer que já estava bem acostumado com a dupla.

Tive certeza que não voltaria mais para a pedaleira quando a usei na Corrida de Aventura de São José dos Pinhais. Como estava a pouco tempo usando o clip, preferi ir de pedaleira para me garantir. A surpresa foi nas primeiras pedaladas; nossa, como a pedaleira era ineficiente na hora de puxar o pé. Parecia que eu estava pedalando no vazio! 🙂 Felizmente na Corrida de Aventura de Irati usamos sapatilha/clip em conjunto com o tênis e tudo ocorreu bem.

A grande vantagem da sapatilha/clip é a eficiência na pedalada, e não o aumento de velocidade. A sapatilha/clip te leva mais longe, não mais rápido. Com ela você se adapta naturalmente na maneira de pedalar, fazendo com que todo o movimento da perna seja convertido em energia. Agora, enquanto um pé empurra o pedal, o outro puxa-o, distribuindo o esforço de uma maneira mais uniforme. Até a minha maneira de pedalar em pé nas subidas mudou: agora uso muito mais a puxada do pé para impulsionar a bike do que a pedalada para baixo.

Posso até dizer que é melhor um novato começar direto com a sapatilha/clip do que usar a pedaleira (ou nada). É claro que a pessoa terá que treinar bastante em terreno plano e sem obstáculos, de preferência perto de um gramado. Acho que em pouco tempo ele já estará acostumado e poderá se aventurar em terrenos mais acidentados.

No final das contas vale a máxima: nunca é tarde para se aprender alguns truques novos, só é preciso ter a cabeça aberta para isso. 🙂

E você? Usa clip, pedaleira ou só o pedal normal? E se usa clip, tem alguma dica para compartilhar com os leitores do blog?

Comments

  1. Xampa says:

    Heheheheh, eu uso. Comprei pra speed, que acabei vendendo e estou usando na hibrida. Acho muito bom e ontem tive a primeira queda com a sapatilha. Todo mundo dizia que isso ia acontecer, mas eu já estava me sentindo super-confiante na hora de tirar o pé do clip. Só que a confiança foi prejudiclal. Me preocupei com as marchas e bum chão. hahahahahaha.

  2. mildão says:

    pedalo sempre com sapatilha,,

    o bom é que com sapatilha vc pedala “certo”

    moooooooooove

  3. Uso clip quando vou pra montanha, terrenos mais acidentados, ou longas distâncias.

    Pra brincar pela cidade (saltos, etc), melhor usar um pedal plataforma. Nesses casos, o clip não só não ajuda muito como dificulta a aprendizagem do movimento correto, e torna o brinquedo muito perigoso.

  4. Daniel Nunes says:

    Sou novo no MTB e ainda não aderi o clip, sempre que penso ou leio algo sobre o mesmo, me imagino caindo feio com o pé preso no pedal por conta do clip, sei que é noia mas é a realidade! é fato! tentarei aderi quando tiver mais segurança na bike ou não!

  5. eros says:

    Eu também tenho clip numa MTB. É sem dúvida nenhuma melhor de pedalar, principalmente em trechos mais longos, onde não precisa ficar parando para atravessar as ruas. Em trechos curtos a dica é: antes de parar, pense no seu pé. Só assim, não se esquece de desencaixar. Abraço.

  6. Xampa says:

    Isso aí, antes de parar pense no pé. E foi justamente o que não fiz na terça …, hehehehehe

  7. Com o tempo o ato de tirar o pé “pro lado” fica automático e o trabalho não é tanto. Só cai em trilhas que passava por terreno arenoso, e sempre em baixa velocidade… (:

  8. Anderson says:

    Muito legal o blog, parabéns, vou começar a acessar mais.

  9. Firma pé com ponte dupla e double straps, ogrisse master.
    Mas em breve vou pro clip também.
    Brasil!

  10. Claudio says:

    Uso o clip faz mais de 10 anos. Não tem muito segredo, o único alerta fica para aqueles que gostam de aumentar a pressão da mola. Em terreno seco não há problemas, mas dependendo da sapatilha, em terreno molhado ela gira quando vc tenta desencaixar e seu pé continua preso. Então use a pressão padrão se pedalar na lama ou tomar chuva.

  11. Fabiano Petrillo says:

    Sou praticante de cicloturismo e tenho apenas uma bicicleta Caloi Elite 2.7.

    Atualmente uso esta bike para ir ao trabalho (25 km total) e estava pensando em trocar o pedal comum pelo clip.

    Acho que em estradas é blz, mas minha dúvida está em usar na cidade como Floripa, onde definitivamente não há espaço para ciclistas.

    Acredito que na cidade o pedal normal seja bom, mas pretendo fazer um viagem de 300km total em estrada de chão e acho que o clip seria ótimo nesta situação.

    Mas como só tenho uma bike, não quero ficar trocando o pedal toda hora.

    Você aconselham usar clip na cidade onde tem muitos obstáculos (carros, acostamentos com grandes buracos, ciclista na contra mão o tempo todo, etc)?

  12. Rodrigo Stulzer says:

    Oi Fabiano!

    Sim, dá para usar o clip na cidade também, sem problemas. No início você deve levar uns tombinhos, mas é até se acostumar.

    Uma boa opção seria pegar um que é clip de um lado e pedal normal do outro.

    Abraços!

  13. david says:

    não deu tempo de tirar o ´pé do clip, tomei um chão e trinquei o radio. fazendo trilha a noite a bike ficou na areia e eu comi areia. o pior é fica sem pedalar.

  14. Depois de “velho” (36 anos) resolvi pedalar (mtb). Nada de competições, só por lazer nos fins de semana. Nos primeiros seis meses usei pedal normal, depois mudei para o Clip. Confesso que tomei apenas um tombo (por causa do Clip), mas pedal comum nunca mais.
    No início é preciso ter muita atenção, depois é automático.
    Quanto ao uso do pedal Clip na cidade, dá para usar numa boa. Tudo bem que é um pouco repetitivo você ter que desclipar muitas vezes durante um percurso (para atravessar a rua, sinal fechado, pedestre na sua frente, etc), mas como descrevi acima, depois que acostuma liga o piloto automático e pronto, você desclipa até sem perceber.