Dia Mundial Sem Carros Foi Abolido em Curitiba

Nesta quarta fui trabalhar de bicicleta, por causa do Dia Mundial Sem Carros. No ano passado eu fiz a mesma coisa e foi bem interessante. A prefeitura havia fechado várias ruas no centro da cidade como forma de engajamento na causa.

Este ano foi bem diferente. As ruas não foram fechadas e praticamente ninguém se deu conta da data. A Riachuelo (uma minúscula rua no centro velho da cidade) foi a única que fecharam. Não passei por lá para verificar.

Da minha parte a comemoração neste ano foi muito fraca, bem pior que no ano passado. Pelo menos o pessoal da Bicicletada fez uma concentração na praça Santos Andrade e fizeram a Marcha das 1001 Bicicletas. Se tinham tantas bicicletas assim isso é um detalhe, mas pelas fotos e pelo relato do Daniel dá para ver que era muita gente!

Muitos acham que não faz  sentido ter um dia destes, já que no resto do ano as pessoas andam de carro. Eu considero uma ótima iniciativa, pois faz as pessoas pensarem; e isso é um passo à frente.

Pena que não pude ir no Zapata almoçar com os colegas de pedal. Era muito longe e eu estava do outro lado da cidade 🙁

Comments

  1. Xampa says:

    Curitiba, tinha tudo para evoluir no assunto transporte e bike. Mas, não avança. Do tempo que morei aí e pelo convívio que tenho ainda, o transporte público é muito pouco usado pela classe média. Qdo fui morar em Ctba, as pessoas tinham o hábito de ir pro trabalho de carro e eu sempre achei um absurdo. Até fiz isso uma época, porque morava na Água Verde, trabalhava no Centro e estudava a noite na Federal que fica pro lado do Graciosa Golf Club. Aí, era muito complicado. Mas, de resto era só busão. Muito bom. Ia lendo e relaxado. Mas, isso é uma questão de hábito. Acho que Ctba vai sair dessa, com certeza, vai melhorar o transporte e evoluir como cidade. Como fez com o lixo e com outros tantos assuntos.
    Abs.

  2. daguvasco says:

    Realmente a marcha foi fantastica.
    Mas acredito que independente da bicicletada ser uma vez por mes, deveriamos ter a consciencia de todo mes ter o dia sem carro.
    Para as pessoas verem como é dificil a nossa vida de ir e vir pedalando pro trabalho/faculdade etc…
    Mas quem sabe nao entra na cabeça dessas mesmas pessoas com a bicicletada ne?
    rs
    Aquele

  3. O povo aqui em Curitiba tá meio loco já, eu falo isso por experiência própria. Ontem cheguei no serviço ai entrei no blog pra ver qual era a data do dia sem carro e era ontem… o problema é que já estava com o carro no serviço… droga…

  4. Peterson says:

    Eu comecei a ir trabalhar de bike (2 vezes por semana) a mais de um mês e para minha surpresa o percurso de 6km chega a ser na metade do tempo (20min), no horário do rush.
    Abraço a todos.

  5. Aqui em Beagá já não era grandes coisas e, também, foi menos divulgado este ano que nos anos anteriores.
    Aí de Curitiba também fiquei sabendo que os corredores ficaram na bronca com os ciclistas pois no desafio intermodal, que ocorreu dias antes, foram colocados dois ciclistas profissionais. Isto tirou o objetivo que é mostrar o quanto uma pessoa “normal” faria o trajeto usando transporte alternativo no horário do rush.