O que o Bumerangue me Ensinou

Já a algum tempo quero fazer uma série de artigos focando os ensinamentos que tive com determinado esporte. A ideia aqui não é falar diretamente sobre o esporte em si, mas sim o seu efeito colateral, as lições que aprendi.

Começo com o bumerangue, que no meu conceito nem é tanto esporte assim, mas acho fascinante. É bom eu deixar claro que o meu conceito é meio desvirtuado. Esporte tem que suar e se esforçar muito. Se não fico cansado no final de um treinamento, aquilo não é esporte. Então leia estas frases com este viés. 🙂

Mágica

O bumerangue é um instrumento mágico. Como que o homem desenvolveu um projeto de um pedaço de madeira que lançado no ar volta exatamente na sua mão? Imagine a quantidade acumulada de conhecimento e inovação para chegarmos num bumerangue moderno? Junte a isso todo o fascínio que este objeto tem, tanto para crianças quanto para adultos que a mágica está formada.

Zen

O bumerangue é Zen.  Lembro de quando aprendia o modo correto de lançar e nada funcionava direito. O Jerry Leu, que fez a maioria dos bumerangues que uso, só dizia uma coisa: “jogue mais”. Eu continuava a treinar e não acertava, e o que ele dizia? “jogue mais”. Só depois entendi que aquilo era um ensinamento Zen. Não adiantava tentar acertar os lançamentos. Eu só tinha que lançar e esquecer. Foi só quando parei de pensar é que ele começou a voltar na minha mão.

União

O bumerangue é união. Dificilmente jogo meus bumerangues sozinho e sempre aparecem curiosos para ver como ele funciona. Ninguém acredita que ele vai voltar, mas depois de alguns poucos lançamentos já estão fazendo perguntas e querendo saber onde podem adquirir os seus.

Diversidade

O bumerangue é diversidade. Existem vários tipos, modelos e tamanhos. Cada um voa de uma maneira diferente, mas todos voltam. Só é preciso entender o âmago de cada um para que funcione direito.

Trate o bumerangue com carinho que ele sempre voltará para você. Pense no relacionamento entre as pessoas e notará que é a mesma coisa…

Comments

  1. Bacana o depoimento! Só discordo que todo esporte tem que suar. Até o xadrez é um esporte. Mas enfim, respeito sua opinião.

    E quem disse que bumerangue não faz suar? Tenta fazer uma sessão de Trick Catch single e doubler em sequência e uns arremessos de MTA! É, meu amigo, quem quer treinar bumerangue a sério tem que ter preparo também, hehehehe.

    Se quiser saber mais sobre bumerangues, meu blog é um bom começo!

    Abração e bons ventos!

  2. Matheus says:

    Rodrigão, concordo com o Ítalo…Meu primeiro contato com bumerangue foi contigo mesmo, em Guaratuba… e como eu suei!!! No dia seguinte eu sentia muito mais os efeitos dos lancamentos dos bumerangues do que do pedal que fizemos. Abração.

  3. […] ← O que o Bumerangue me Ensinou […]