Impressões da Corrida de Aventura de Quatro Barras 2011

Como sempre, depois de uma corrida de aventura, escrevo as minhas impressões da prova, um pouco para poder analisar os erros e acertos e também para relembrar.

O Dia

Desta vez pegamos um dia maravilhoso, muito parecido com a Corrida de Aventura de Irati 2010. Céu azul, calor e uma ótima energia de todo mundo. Não que as corridas com tempo nublado e com chuva sejam ruins, mas o sol levanta o moral de qualquer um!

O Local

A região de Quatro Barras, onde foi feito a prova (Serra da Baitaca), é ótima! O Anhangava, com seus 1.440 metros, se impõe para quase qualquer lado que você olhe. E ali também tem estradinhas e trilhas ótimas para a bike, e até uns rios bem gelados que o Julio arrumou para a gente. A largada foi no Rancho Jeepira, que tinha uma ótima estrutura para todo mundo.

A Prova

Fizemos a prova de 50km (Expedição), em 07:12h, largando às 09:10h e chegando às 16:22h. Antes da corrida, achei que teríamos uma prova com muitas subidas e descidas, já que a quilometragem não era tão longa. Mas durante vimos que ela seria rápida, o que acabou se concretizando. O eixo principal foi a Don Pedro (que infelizmente agora está asfaltada), com saídas para várias estradas de terra ao redor.

Num determinado ponto largamos as bikes e seguimos por uma trilha larga e gramada em direção ao Anhangava. Logo em seguida a grama sumiu e o mato foi tomando conta, virando um caminho típico da serra do mar. Esta parte da prova foi muito interessante, onde a navegação era importante para não se perder de bobeira.

A subida do Anhangava foi feita através do seu morro-irmão, o Samambaia. Já fazia muito tempo que eu não subia por ali e gostei demais. Caminhada mais longa, cansativa, mas com o dia de sol que estava, muito bonita!

A partir daí voltamos pelo mesmo caminho até pegar as bikes e fazer mais dois PCs virtuais até completar a prova.

Achei a corrida bem estruturada e muito bem equilibrada. Gostei mesmo!

A Equipe

Desta vez corri com o Mildo, um ótimo parceiro e que encara qualquer perrengue. O senso de humor dele é contagiante e nos divertimos muito com as nossas conversas e presepadas durante a prova. Valeu Mildão, vamos fazer mais dessas!

A Navegação

A navegação da prova estava fácil e não erramos nada. A única parte onde tivemos que parar para achar o local da entrada foi no PC3, onde tínhamos que cruzar o rio para chegar onde estavam os fiscais. Nesta hora eu parei e disse que alguma coisa estava errada, pois já deveríamos ter achado a entrada. Ficamos pesquisando por ali e, junto com outras equipes, acabamos achando a entrada correta.

Do PC3 para o PC4 o Julio apagou uma estrada. A intenção dele era fazer o pessoal levar as bikes através do rio, o que daria algo em torno de um ou dois quilômetros. Como vi que havia uma estrada ali, resolvemos ir por ela. Só não contávamos que ela daria tantas voltas, o que só vimos depois da prova, no track do relógio do Mildo. Quem se deu melhor foram as equipes que voltaram pelo mesmo caminho que foram até o PC3.

A Colocação

Chegamos em sexto lugar (de 15 equipes inscritas na categoria expedição). O resultado foi legal mas poderia ter sido um pouco melhor. Depois da prova, conversando com o Mildo, chegamos a conclusão que faltou foi ter dado um gás na parte do trekking, principalmente na volta do Anhangava até pegar as bikes de novo. Neste trecho fomos ultrapassados por duas ou três equipes, o que acabou nos deixando na classificação que ficamos.

Mas o que importa é que nos divertimos muito e passamos mais um final de semana muito legal!

E que venha a próxima!

Fotos: Mildão