Pensamentos a Respeito da Corrida de Aventura de Itaperuçu 2010

Chegou a hora de falar da Corrida de Aventura de Itaperuçu que fizemos neste final de semana. Como sempre o relato da prova pode ser lido no blog do Luiz, então vou me ater somente aos detalhes que acho interessante compartilhar com vocês.

Alimentação

Desta vez acertamos na alimentação. Na corrida passada levei pouca variedade e chegou uma hora em que nada mais descia. As batatas assadas funcionaram bem por duas corridas (São José dos Pinhais e Irati), mas desta vez acho que enjoei. Comi só uma ou duas.

Nesta corrida levamos sanduíches com maionese, queijo, tomate e alface. Comprei três baguetes e cortei-os em pedaços pequenos, embalando-os um a um naqueles filmes plásticos de pvc. Levei também nozes e castanhas e embalei uns pacotinhos de azeitonas para reposição de sais minerais.

Orientação

Na parte da orientação tenho que acertar no trekking. Tenho que estimar melhor os tempos necessários para percorrer cada trecho e assim ter certeza de onde estamos. Desta vez (como outras equipes) nos perdemos entre o PC1 e PC2 e demoramos muito até chegar no PC2. O erro aqui foi não tomar a decisão de ir até o PC3 quando vimos que estámos perdidos. Chegamos em um ponto onde era possível observar a estrada, e de onde o PC3 estaria muito perto. Ao invés de avançar e chegar até o PC3, resolvemos voltar. Com isso perdemos um tempo precioso e não achamos o PC2. Voltamos ao PC3 e daí foi fácil chegar ao PC2.

Conclusão: quando você está perdido, vá até um local conhecido, mesmo que pareça que isso vai demorar mais. No final das contas acaba demorando menos.

Na orientação da bike está tudo certo. Com a medição de distância pelos dedos e zerando o odômetro a cada nova bifurcação, acertamos todos os pontos.

Motivação

Eu não estava motivado antes da prova; não tinha aquela euforia pré-prova mas queria participar. Não sei exatamente o que aconteceu. Na noite anterior fiquei arrumando as coisas até a meia noite e isso cansa. Preparar os equipamentos para uma corrida de aventura é algo meio tedioso e precisa de atenção. O ideal é tentar organizar as coisas dois dias antes e só deixar o último dia para uma checagem geral.

O interessante é que na manhã da prova a motivação apareceu com força total e corri a prova com vontade e determinação.

Visual da Prova

Adorei o visual de Itaperuçu. Cheguei a pedalar por lá a muitos anos atrás, mas só perto da cidade. Desta vez pegamos o interior e me surpreendi. Caminhos lindos através das montanhas, tanto na parte de trekking quanto de mountain bike. Quero voltar logo por lá para pedalar com mais calma e apreciar a paisagem.

Companheiros

Desta vez acabamos correndo quase toda a prova com a equipe Life Adventure, de Passo Fundo. Eu já havia trocado uns emails com o João Fabiano a tempos atrás mas nos conhecemos mesmo em Itaperuçu. Pessoal legal e esforçado, espero poder fazer outras corridas juntos. Eles só tem que ajudar mais a Lise, que é super guerreira. Lembrem-se meninos, ela é uma mulher, e por isso merece tratamento especial! 🙂

Noção de Tempo

É engraçado com a noção de tempo muda numa prova de corrida de aventura. Passamos quase onze horas correndo e quando lembro não parece que foi mais que duas. Mesmo sendo uma prova dura e pesada, não me recordo dela assim. Lembro da navegação, dos obstáculos, mas não lembro do cansaço e do esforço maior. Interessante isso! 😉

Vídeo da Prova

Gostei do resultado do vídeo. Desta vez foquei mais mais no esforço necessário para completar uma corrida dura como esta. Tentei entrevistar mais pessoas e não focar tanto em mim, se bem que tem horas que não tem jeito. O feedback foi bem positivo e isso me motiva a continuar a filmar e tentar melhorar a cada prova.

Fotos: Luiz Oliveira

Comments

  1. Henrique says:

    É… digamos que pareceu cansativo! hehehehe… massa, muito massa.. um dia eu volto pra essas… por hora, a maratona tá no páreo…

  2. […] sábado fizemos um pedal de verdade, finalmente! Verdade porque a última pedalada grande foi na Corrida de Aventura de Itaperuçu. Depois disso fiz só treinos leves e pedais simples, indo até Quatro […]