Pedal do Pacotuba no Circuito da Natureza em Almirante Tamandaré

Sábado foi mais um dia de pedal, desta vez pelo Circuíto da Natureza, em Almirante Tamandaré. O lugar escolhido foi o Pacotuba, estrada do interior da região com belas paisagens, friozinho de outono, ótima companhias e muitas araucárias. Foram 30 quilômetros em umas três horas de diversão.

Saímos de Curitiba pela uma e meia da tarde e começamos o pedal as duas e meia. O local de saída foi a casa do Sadi, amigo do Markito de longa data. Cara muito legal, alternativo, mora a mais de vinte anos no local.

Casa simples e aconchegante, em meio a uma área toda arborizada. Depois do pedal olhei a sua biblioteca e achei raridades, como a primeira edição brasileira de O Senhor dos Anéis, feita pela editora Artenova.

O objetivo principal, pelo menos para a Bel e eu, era fazer ela pedalar por três horas em estradas de chão, fazendo parte do treino dela para o Circuíto Vale Europeu, que pretendemos fazer no meio de julho.

Estávamos em oito pessoas, sendo que os novos eram somente o Sadi e seu filho, o Rael. De resto velhos conhecidos de várias aventuras e pedais por aí.

Fazia muito tempo que eu não passeava pela região de Almirante Tamandaré. Pedal muito por ali, servindo de caminho de volta quando fazia passeios de bike mais longos pelo trajeto  Campo Magro/Bar do Paulo. E toda as minhas aulas, na época de aluno de parapente, foram na Tranqueira, região próxima a Rio Branco do Sul, onde existe um dos morros escola de voo-livre.

O pedal foi bonito e agradável, numa região com muitas araucárias e casas antigas. Mesmo a parte inicial de asfalto é legal, pois a estrada é estreita e mal conservada, sendo melhor para as mountain bikes. Logo no início o Markito nos enfiou numa trilha e ainda bem que as meninas não foram por ali: um lugar todo úmido, cheio de lama e escorregadio.

Num dado momento pegamos uma bifurcação à direita e a estrada ficou cada vez mais inóspita a cada quilômetro que pedalávamos. Numa pequena encosta de vale ela se transformou em um caminho de não mais do que quatro metros, inteiro gramado. Andamos uns bons quarenta minutos por esta estrada, passando por grama, barro, subidas e descidas. Realmente a melhor parte do pedal. Temos que voltar ali num dia que esteja tudo seco e possamos fazer uma média horária mais alta. Acho que vai ser bem interessante.

Chegou em um momento que ficamos meio perdidos, no meio da trilha. O negócio foi sentar e fazer um lanchinho, descansar e conversar um pouco. Andamos mais um pouco e encontramos a estrada, iniciando o caminho de volta.

No final da tarde o sol nos presenteou com uma luz dourada maravilhosa banhando a paisagem do local. Pegamos os últimos raios de calor e apressamos o passo para tentar chegar antes de escurecer. Quando o frio começou a apertar já estávamos bem perto da casa do Sadi. Chegamos lá, tomamos um bom chimarrão e nos despedimos.

Voltamos para casa com o aquecedor do carro no último. A felicidade foi em dobro hoje, pois a Bel estava junto!

E para variar, um videozinho com as imagens do pedal. Aproveite, pois editar dá um trabalho do cão. Até acho que vou parar de fazer vídeos quando o tempo de edição demorar mais do que a atividade em si! 🙂

Comments

  1. Marco says:

    Rodrigo, o negócio ta ficando sério, tuas edições estão cada vez melhores, parabens! Bel, Marcia e Bia: Vocês estão se superando, continuem assim, pedalando!

  2. Antonello says:

    Rodrigo ficou otimo! Suas ediçoes estão otimas! Nosso passeio foi otimo!!! Esta turma vai longe…

    Abraço

  3. Rael says:

    Depois de 3 anos sem pedalar essa turma me botou em 30 km de pedalada pelo circuito da natureza, em uma ótima cia.

  4. Gian says:

    bela trilha essa do Pacotuba. nao para de fazer os videos Rodrigo, estao muito massa.
    Falo galera!

  5. […] a ideia de fazer o Circuíto do Vale Europeu de bike. Ainda com a minha antiga bike, começou a treinar para valer e mostrou que estava empenhada e com vontade. Epa, mas alguma coisa estava errada: […]