Energia para a Aventura: Batatas Assadas!

Esta semana fiquei na correria para arrumar as coisas para a Corrida de Aventura de Antonina, promovido pela Extremaventura. Fora toda a organização necessária para checar equipamentos, roupas e bicicleta, tive que pensar na comida.

Pegamos o básico de suplementos: barras de proteínas, malto-dextrina e géis de carboidrato. Para não ficar só nos químicos, compramos uva passas, amendoim salgado, castanha do pará e bananas secas, para misturar e colocar em saquinhos, para fácil consumo.

O problema destas coisas é que tudo é meio doce. Fora o amendoim, não tem nada para saciar aquela vontade de comida salgada. Eu sempre compro uns pacotes de batatas fritas, tipo ruffles, mas não é a mesma coisa.

Daí que desta vez resolvi fazer umas batatas assadas. O Minduim já falara nelas e eu também havia visto o Brett, do Zen Triathlon, comentar a respeito.

Estas batatas assadas são muito fáceis de fazer, olha só:

Corte as batatas em quatro partes, se quiser passe um pouco de óleo para elas não grudarem, e coloque em uma assadeira. Deixe no forno quente até elas ficarem bem douradas. Pronto! Depois é só colocar sal ou o seu tempero favorito e embalá-las individualmente. Eu utilizo aqueles filmes transparentes, pois são fáceis de manipular e não pesam nada.

Estas batatas podem ser guardadas no freezer e retiradas um dia antes de serem utilizadas. Elas são uma ótima fonte de carboidratos, e não tem aquele gosto de “químicos” dos suplementos.

Na sua próxima aventura leve estas batatas e depois me conte se aprovou.

Comments

  1. danielghiraldi says:

    Corredor, montanhista, biker e agora cozinheiro???
    uashaushaushasuashaushaushasuashuashaushau
    Brincadeira cara, otima dica, ta anotada ja, pro proximo pedal…
    Aquele

  2. george says:

    Batata é tudo de bom! Muito antes dos géis aparecerem no Brasil, lá pelos idos de 1993 quando comecei no ciclismo era meu combustivel principal. Assava ou cozinhava com sal e colocava em papel aluminio, no bolsinho da camisa de bike, daquelas em lycra ainda, rsrs

    Ótimo post!

  3. JOKA says:

    Ja tinha ouvido falar em chup chup de pure de batata…kkk Essa nova dica veio a calhar, vamos testar… rsrsrs Abraço man e boa prova!!!

  4. Lex Blagus says:

    Stulzer,

    “Sua batata tá assando” 🙂
    Excelente dica, conheço um coreano que leva batata assada para comer na trilha, uma diliça. O que a Jô anda fazendo de café da manhã é banana da terra, também fica um espetáculo (ainda mais com uma manteiguinha por cima, nham!)

    valeu a dica!
    abraços

  5. Estou me ajeitando para ir até Campo Mourão esse fim de ano. Preciso ver o que levar e não pesar tanto na bike…

    Comida é uma das coisas que pensei que poderiam pesar mais, apesar de que minha ideia é pedalar durante a manhã, parar pra almoçar e andar pouco a tarde… levando um total de 5 dias pra cobrir os 455km.

    Batata é até uma boa, sou viciado nelas, mas fria? Purê eu como frio, mas só a batata? hahaa… Ou achar um jeito de deixar a batata aquecendo no sol enquanto pedalo né?

    O que mais indica de comida, gel, energético e afins? Eu normalmente levo barrinha de cereal, chocolate, água e gatorade…

  6. Marco Aurelio says:

    hummm delicia !
    Uma coisa é certa, sera bem mais saboroso que o gel de açai com rabanete, rssss

  7. LVR says:

    Ei, tá entregando em casa ?

    Heheheh

    T+

    LVR

  8. Renata Roloff says:

    Olá…

    Assada eu nunca fiz porém para a maratona de Curitiba fiz batatinhas cozidas com sal e embaladas em saquinhos plásticos…. tbm são uma boa opção. Mas na próxima aventura vou experimentar as assadas.
    Obrigada pela dica…