O Criador e Sua Criatura: Netuno e as Ondas

Este final de semana fomos para Guaratuba. A previsão não prometia muito, mas fui brindado com ótimas ondas no sábado e no domingo. Eu não poderia deixar de agradecer ao Deus do mar pelas ondas que tive o prazer de desfrutar. Então vamos lá! 🙂

Caro Senhor das Águas, não sei ao certo como chamá-lo: Posseidon, Netuno, Ulmo, ou tantos outros nomes pelos quais te conhecem, mas tenho muito a te agradecer pelas ondas que me proporcionou neste final de semana.

Tudo bem que o calor estava infernal e a água quente demais, mas você me brindou com ótimas ondas nestes dois dias. Até achei que você não iria se mostrar, mas estava enganado.

Você me trouxe ondas boas, fortes e consistentes, fáceis de entrar e que se abriam para a esquerda, me levando rápido e longe. Uma onda atrás da outra mas nenhuma igual à anterior. Tudo no mesmo lugar, mas diferente ao mesmo tempo.

Sabe Netuno, eu aprendi que a natureza é muito maior que imaginamos, não adianta querer impor a minha vontade à ela. O importante é se moldar ao que ela oferece. E o surf só começou a funcionar depois que passei a entender o que as ondas estavam me dizendo. Só assim consegui deslizar com harmonia.

Sempre achei que o surf é um dos meios mais bonitos de comunhão com a natureza. Eu não interfero com ela, mas aproveito todo o seu poder para deslizar pelas águas. Não foi assim que Jesus Cristo fez um dia?

Não sei por que, Netuno, mas cada vez que surfo fico com mais energia, não com menos. É claro que canso e me esforço bastante para remar e entrar numa onda. Mas no momento em que me ponho de pé na prancha, parece que tudo pára. Paro de pensar e deixo o corpo entrar em sintonia com a onda. Neste instante parece que a sua energia flui para o meu corpo, recarregando-o.

E no final, ao invés de cansado, estou renovado, querendo voltar e surfar mais uma.

É uma pena que nem todos poderão experimentar a sensação que é surfar uma onda. Me sinto afortunado por você dividir esta dádiva comigo. Tenha certeza que recebo este dom com orgulho e respeito.

Sabe, eu sinto cada segundo do surf! Desde que coloco a cordinha no pé, ainda na areia, ou quando dropo uma onda grande com velocidade, sinto que algo maior me domina.

Mas nada se compara à sensação de deslizar pela onda, seguindo o caminho que se forma na minha frente. Sabe que de vez em quando vejo pequenos peixes surfando junto comigo? Também já consegui, de manhã bem cedo, ver a luz dourada do sol banhar toda a onda, deixando-a ainda mais bonita e exuberante.

Não sei por que você as criou, mas tenha certeza que os surfistas acharam uma maneira maravilhosa de usufruir desta dádiva sem causar mal algum à sua criação; cada um, com seu estilo, desenha um prece nas ondas.

Obrigado, Netuno, por me deixar desenhar as minhas preces. Elas podem ser singelas, mas são do fundo da minha alma.

Comments

  1. caio1982 says:

    A imagem do Ulmo encontrando o Tuor na praia deu um selo geek ao post 🙂