O que acontece quando você não se alimenta ao praticar atividades físicas de longa duração?

No pedal de domingo resolvi fazer uma experiência. Não comi nada durante todo o trajeto, só bebi água. A única coisa que havia comido foram uns pedaços de bolo antes de sair de casa.

Faço regularmente este trajeto casa -> chácara (+-45km) e sei bem o quanto preciso comer. Normalmente algo simples como uma ou duas bananas secas dão conta do recado. Como já estava no meio do caminho, e não havia comido nada, decidi por continuar assim e ver o que aconteceria.

Até uns 3/4 do trajeto estava bem e não notei nada de diferente. Mas quando faltavam uns oito quilômetros senti o corpo fraco e um leve desconforto.

Faltando em torno de oito quilômetros apareceu um cansaço bem grande, junto com um pouco de tontura. Nesta hora pensei em pegar alguma coisa para comer na mochila (havia levado banana seca, barra de proteína e maçã), mas como estava perto e tinha certeza que não iria desmaiar pelo caminho, continuei.

Cheguei na chácara sem problema algum, mas com um rombo enorme no estômago! Nos próximos vinte minutos comi tudo o que encontrei pela frente, sem cerimônias e com uma vontade impressionante. :-) Em seguida me acalmei e pude trocar a roupa e colocar um calção para entrar na piscina.

O que fiz foi uma experiência controlada, com consciência do que estava acontecendo. O problema é quando a pessoa deixa de se alimentar e fica fraca, sem entender o que aconteceu. Eu mesmo já passei por algo semelhante no final da Corrida de Aventura de Irati; imagina alguém sem experiência?

Uma regra básica é se alimentar a cada 45 minutos a uma hora de atividade física, independente de estar ou não com fome.

Lembre-se: o seu corpo é uma máquina e não funciona sem combustível!

Comments

  1. O único horário em que eu não tenho vontade de comer é justamente quando estou fazendo atividade física. Eu costumo comer a cada duas horas de pedal, geralmente forçado.

    Mesmo assim às vezes me esqueço e me descuido disso. A pior foi durante uma viagem de bike pelo RS. Estava muito quente e eu nem conseguia cogitar comer nada, só beber água. Num dado momento me senti muito mal, sem forças, tonto. Lembrei que não tinha comido nada havia muito tempo e me forcei a comer uma maçã. Nunca vi coisa igual: a melhora foi instantânea! A partir daí, terminei o longo percurso do dia sem mais problemas.

    Outra vez fui daqui de Goiânia para Pirenópolis (120km) num dia e parei 3 vezes, outro descuido. A 3a já foi bem perto da cidade, porque estava bem morto e só aí lembrei de comer. Desde então comecei a usar um timer pra me lembrar. :)

  2. Prego de fome é foda…quando bate, por melhor que seja o atleta, destrói o treino/corrida!!

    Nos meus treinos também sinto dificuldade de comer algo sólido..trava na garganta, não desce!! Então sempre levo Gels de carboidrato ou algo do gênero.

    Valeu

  3. Eu fiz isso esses dias. Voltei a pé do trabalho (+- 10km) para casa em um dia em que eu havia almoçado apenas salada. Fiz isso para saber meus limites mesmo.

    Foi bem estranho, cheguei em casa suando frio e o com o estomago meio com fome/meio com vontade de vomitar. Mesmo com fome , tive que descansar por 15min para conseguir jantar.

    Esses “Gels de Carboidrato” funcionam mesmo? Tava pensando em usar eles antes de ir para musculação ou fazer alguma caminhada/corrida mais pesada. Eu não uso nenhum tipo de suplemento…

    Abraços!

  4. Rodrigo Stulzer says:

    Oi Nivaldo!

    Os géis são uma opção prática e fácil, mas eu os tenho usado cada vez menos. Cheguei a usá-los como alimento principal, mas como não são naturais, acaba não sendo a melhor opção.

    Atualmente uso-os como complemento. Mas no quesito praticidade é difícil bater eles. Uma boa opção são as bananas secas, que cabem em qualquer mochila/bolso e dão uma boa energia…

    abraços!