Saindo do Domínio do Tempo

Existem horas em que conseguimos sair do domínio do tempo, num momento maravilhoso em que ele desacelera, pára; morre. É difícil conseguir chegar neste estágio, mas quando acontece, é muito bom. Nada mais no mundo importa, só aquele instante, aquele momento.

É quando perdemos a noção e vivemos o aqui e o agora. Não pensamos mais no que aconteceu ontem ou no que temos que fazer amanhã. Afinal, o passado já passou e o futuro ainda não existe. Vivemos o que está acontecendo, sem cobranças, culpas ou preocupações.

É possível entrar neste estado de consciência de várias maneiras: uma viagem; uma caminhada na montanha; um pedal por regiões inexploradas; ou o reencontro com amigos queridos que gostamos muito.

Hoje, com toda a correria que vivemos, afazeres e responsabilidades, é muito importante para a sanidade da consciência conseguir sair do domínio do tempo. Mesmo que seja por uma manhã ou um final de semana, estas alterações no curso do cotidiano são uma bênção. O tempo nos dá um tempo e nós recarregamos as energias e vemos o mundo de uma maneira diferente.

O cinza se transforma num lindo dia de sol, com raios dourados, banhando nossos corpos e nos conduzindo a um universo diferente, no qual nós fazemos as regras, e não a sociedade.

É importante que cada um ache a sua maneira de sair do domínio do tempo. Vale qualquer coisa, contanto que isso lhe faça feliz e não prejudique ninguém.

Já saí do domínio do tempo muitas vezes, e posso dizer que não existe nada melhor neste mundo. Um salto de paraquedas,  um longo pedal ou um momento especial. Mas o melhor de tudo é quando você consegue enganar o tempo junto com seus amigos. Aí as coisas se somam e o que fica são sorrisos no rosto. Ninguém precisa falar; a comunicação dá-se em outro nível, de outra maneira.

Sinto pelas pessoas que nunca tentaram sair dos seus mundinhos e do cotidiano para arriscar um pouco. Nunca saíram  dos seus casulos, por medo ou desconhecimento do que a vida pode lhes proporcionar.

Faça um favor a você mesmo: faça mais festas, pedale mais, saia com os amigos, brinque com os seus filhos, sorria! Durma mais, durma menos, viaje mais; veja mais luas cheias, caminhe mais no meio do mato; faça alguma coisa que nunca fez na vida; arrependa-se do que fez e não do que deixou de fazer.

Fuja mais do tempo, essa é a melhor maneira de não envelhecer!

Este vai para todos aqueles que já fugiram do tempo junto comigo. Vocês sabem muito bem quando e como foi! 🙂

Comments

  1. Excelente post !

    Várias vezes, também consegui sair do domínio do tempo !

    Abraços !

  2. Ah garoto!

    Mandou super bem. Muito bompra começar a semana. texto e imagens ficaram sensacionais.

    Boas saídas =)

    Abraços

  3. du says:

    Boa! Estamos muito encostados pra quem fazia pedais como o do Caiguava. Tá na hora de voltar a deixar o domínio do tempo com mais frequência. A propósito, onde é a última foto (casinha a esquerda e serra no fundo)?

  4. Rodrigo Stulzer says:

    As fotos são todas do Vale Europeu. Esta última é chegando na Ponte Pênsil, depois de Indaial.

    Abraços!

  5. Ricardo Scheicher says:

    Já senti essa sensação. É realmente a melhor sensação que existe!

    Um forma que eu consigo fazê-la é pedalando, seja em um fim de semana, seja indo ao trabalho. Estar reunido com a minha família é outra forma.

    grande abraço,
    Ricardo.

  6. adriana says:

    Delícia de matéria! Texto envolvente, fotos apaixonantes.
    Parabéns!